segunda-feira, 25 de maio de 2009

Saudade


 Sozinha a olhar o sol que nascia, lembrou-se de algo bom que viveu
e seu olhar q mirava o céu, devagar caiu e se encheu de tristeza
 As lágrimas brotaram derrepente, e antes que levasse as mãos ao rosto para enxugá-las, elas rolaram.
 Rolaram aos montes seguidas do ruído que se faz quando se está chorando.
 Ela não queria confessar que sentia saudade, mas era notável.
 Quando se deu conta, o sol explodia em luz, e a manhã havia acabado.
 Levantou-se então encharcada em dor e se foi.

(Imagem do filme vanilla sky)

6 comentários:

Thiago dos Reis disse...

Cara, quanta depressão!

Felicidade no próximo post, por favor.

Mas ficou ótimo.

sblogonoff café disse...

Sabe, padeço com a saudade.
Minha veia cigana é estranha e meu coração se fragmenta a cada partida.
Novamente estou em outras terras e meu coração espalhado assim...
Consagro à tecnologia minhas horas imóveis. Para uns, a esperança de on no msn. Para outros, a esperança de uma presença psicografada!
Tem uma frase do Chico Buarque que define tão bem a saudade: A saudade dói como um barco que aos poucos descreve um arco e evita atracar no cais...

Ryan disse...

Adorei o blog! Espero tomar outros cafés lendo o seu blog!

[eu fiz isso]

rs

abração

D. Diogo Klock disse...

Eu gosto disso....
ola meu caro poeta...
aos pouquinhos vamos voltando...
muito bom ler seu blog...
fazia tempo que eu andava afastado.,..
abração

Pedro Berocan disse...

Rafael,

A sua impressão está correta sobre a minha poesia. Valeu pelo comentário.

Muito bom o seu texto, demonstra bem o sentimento de saudade, o Sol e a Lua são as eternas testemunhas deste momento.

Abraço

Daniel Savio disse...

Aff, por que este sentimento de tristeza, nem tudo é sobre chorar as tristezas...

Mas as vezes choramos por estarmos alegres...

fique com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento