sexta-feira, 5 de setembro de 2008

O mais fiel dos amigos


Quando acordei pela manhã
o encontrei deitado de lado, como se estivesse dormindo.
Ao tocar-lhe percebi a rigidez de seu corpo e a baixa temperatura de sua pele.
Assustado, o chamei pelo nome, mas ele não se moveu.
Em seus olhos não havia mais aquele brilho intenso.
isso me doeu profundamente
arrancando-me lágrimas de imediato.
Então caí diante dele em um choro sentido, doído.
Abracei-o junto a mim
lembrando de como ele havia me trazido alegria durante sua curta vida.
O mais alegre, o mais presente,
o mais fiel de todos os meus amigos.

Em memória de Simbaa, meu fiel escudeiro 

5 comentários:

sblogonoff café disse...

Nick.
Era o nome dele. Meu Sancho Pança, fiel escudeiro.
Acho que eu estava na quinta série e ele me levava ao ponto todos os dias, inclusive as madrugadas de horário de verão.
Depois ele voltava pra casa.
Um dia ele não foi me buscar.
E desde então, eu nunca mais quis ter outro cachorro. (a não ser o labrador que está nos meus planos, junto com filho, marido e cerquinha branca!!Rs.

O Thiago me indicou seu café.
Eu vim tomar um expresso.
E voltarei.

Rafael disse...

haha o labrador q se chamará marley em homenagem ao bob marley e q destruirá tudo pela frente,uhashusahusasa
tbm terei um labrador ^^

O thiago eh um grande homem,e naum eh por causa de seus 1,91 d altura :D
vlw pela visita

Thiago dos Reis disse...

Lindo texto, linda a história do Nick.

Parabéns, à você, à Michelle e ao Nick.

Pedro Berocan disse...

Dolorosa perda
Belo texto

Fernandes disse...

Tenho um cão que mora aqui, ele não é meu, apenas divide o quarto, em quanto estudo a obra dos homens ele estuda meus actos!

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento