domingo, 9 de outubro de 2011

Sinto falta do que tínhamos




Semana passada eu li uma frase numa corrente que está sendo repassada no facebook que me chamou atenção:
" Case-se com quem realmente você goste de conversar, porque ao longo dos anos isso fará toda a diferença. "
Pois é... o tempo passa depressa e se não tomarmos cuidado pode ser tarde demais
Bom, mas vou logo onde eu quero chegar.
Hoje eu fiz meu café e me sentei na sala de TV pra assistir meu seriado como faço todos os domingos de manhã.
E lá estava Ruth, drogada após tomar uns comprimidos que ela achava ser aspirina
O texto a seguir foi retirado de six feet under, e é um diálogo entre Ruth e Nathaniel:

Ao caminhar por toda a floresta Ruth chega a um carro funerário, e debaixo do carro sai Nathaniel como se estivesse consertando algo:

- Certamente, demorou para chegar aqui
- Vai estragar a camisa
- Quem se importa?

Ruth então acaricia o rosto de Nathaniel que continua:

- Vai dar em cima de mim agora? Dois caras não bastam? sua safada!

Ruth sorri :

- Puxa vida, acho que lhe devo desculpas.
- Por quê? Eu estou morto.
- É, mas eu namorava o Hiram antes de você...
- Eu já tinha partido, muito tempo antes de morrer.
- Você iria gostar do Hiram. Ele é gentil e me faz rir.
[...]

Ruth volta para o carro e prossegue:

- Puxa! Esse é o carro funerário que sempre encrencava, não é? Lembra-se depois daquele enterro do músico de Jazz em malibú? O carro quebrou e fizemos amor no banco de trás.
- Se esse carro falasse, não?
- Nathaniel, o que aconteceu com a gente? Éramos tão apaixonados.
- A vida nos transformou. Enterrei centenas de pessoas e assistimos o nosso envelhecimento.
- Mas não estamos velhos.
- Bem, tecnicamente falando... Não vou envelhecer mais do que isso.
- Éramos tão criança quando nos conhecemos. E aí vimos aquelas crianças desaparecerem.

Nathaniel levanta o capô do carro para olhar o motor, e observando tudo coberto por plantas ele continua:

- Droga! Encrencou de novo, não vai para frente nem para trás
- Bem, isso não está ajudando - Diz Ruth retirando as plantas que cobriam uma lapide com os Dizeres:

"Ruth O'connor 17 de novembro de 1946"

Ela inicia um pranto e Nathaniel diz:

- Nada de lágrimas
- Sinto falta do que tínhamos
- Então encontre de novo

E eles se beijam

É sem duvida um trecho belíssimo que traduz tudo que se baseia um relacionamento entre duas pessoas que vivem juntas por bastante tempo
A paixão tende a esfriar, e como diz a corrente:
"As conversas farão diferença no final."

2 comentários:

mary ornelas disse...

Minha avó sempre diz que enquanto se pode caminhar ainda há saúde e que amor somente não enche barriga, mas boas conversas, bons humores , bons companheiros e mão na massa constrói legiões...
Acho que acertei a boa quando ela me disse isso...não achei algo compatível comigo, ao contrário mas dizem que os opostos se atraem né ? Ainda bem pq to ficando velha e rabugenta kkkk só uma pessoa que me tira o juízo me atazanando em brincadeiras 24h mesmo pra me manter sã. Gostei do texto me fez um flashback gostoso

Daniel Savio disse...

Tem coisas que nunca voltam, não importa quanto batalhemos para nos convencer do contrario...

Fique com Deus, menino Rafael Galvão.
Um abraço.

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento