sábado, 23 de janeiro de 2010

Vinho tinto doce



 A princípio ela não aceitou
 Logo depois protagonizou o melhor dia de 2010
 Sim, ela foi!
 Ligou pra ele faltando apenas meia hora pra um casamento na qual nem conhecia os noivos.
 Feliz pelo convite aceito, ele se apressou em
buscá-la de motocicleta debaixo de um céu escuro prestes a desabar.
 Desceram os dois ladeira abaixo, ele de terno, ela de vestido
 Gaguejou antes da cerimonia ao ser surpreendida por uma senhora que perguntara quem eram os noivos
 O casamento não teve o beijo, nem o arroz
 O buque na verdade era um sapo, nada convencional.
 O vinho era tinto, e ela logo colocou-se a rir e deixar cair o guardanapo
 Estando de volta, os dois saíram da maneira que foram a cerimonia
 Divertiram-se na noite da pequena cidade mesmo sem terem pra onde ir
e sem se importarem com os olhares curiosos
 Procuravam um luau e acabaram no banheiro masculino de uma rodoviária
 Ao se despedirem, beijaram-se novamente
 Ele sorriu quando a escutou dizer que ela agora devia muito dinheiro a ele
 Então ele deixou a italiana na porta de casa e foi embora.

2 comentários:

Carlos. Branco. disse...

Cara estava com saudades de suas palavras.

:D

Muito bom.

Daniel Savio disse...

Fungido de quem? Da dívidas dela, ou do possivel amor fardado a acabar mal?

Fique com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento