quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Canários


 Ele estava sozinho na madrugada,
andando pelas ruas desertas da cidade fantasma.
 Lembrou-se da vez que negou o pedido de casamento da garota do prédio
 Lembrou-se do canarinho no apartamento ao lado que não parava de cantar
 Lembrou-se também de sua avó sentada na cadeira de balanço dizendo que é triste não ter ninguém.
 Pra onde quer que olhasse só haviam luzes laranjas, escuridão e papeis de bala pelo chão.
 "Only Ones Who Know" era o que escutava no fone de ouvido
 Não havia ambição alguma, tudo estava acabado.
 Sentou-se junto a sarjeta próximo a um latão de lixo e la ficou a espera de alguém que pudesse carregá-lo, talvez fosse dia de quinta e tivesse a sorte de ser levado pela coleta de lixo.
 Espantou-se com uma luz que o ofuscou de momento, mas logo voltou a entristecer-se pois percebeu que era apenas um carro atravessando sua noite, talvez uma família feliz que resolvera viajar de madrugada e ali estava a passar zombando da sua tristeza.
 Aquele canarinho que se encontrava na gaiola, nunca foi solto, por mais que cantasse pra agradar seu dono, acabou como refeição do gato de estimação da casa.
 Ele estava com muita vontade de chorar,
e assim o fez sem ninguém por perto pra tentar impedir que suas lágrimas corressem.
 [imagem, contra capa do album de arctic monkeys]

9 comentários:

paganus blogger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paganus blogger disse...

ouagora a pouco estava assistindo, um filme(the number 23), fiquei meio incabulado mais ai passaou, entrei na net e fui da uma olhada nos blogS do pessoal e vi que vc tinha acabado de fazer um post...Bom fui lá lê...Um.... e não era que seu texto me pareceu um tando "23", foi como se eu estivesse me vendo em suas palavras de um jeito diferente...
Sem a sua trilha sonora...
Mais mesmo assim eu estava lá...Pudia me vêr naquela situçao,incrívél!

incrívél lembranças, incríveis!

Parabéns...

Ps:Qual é a hora que vc mais gosta de escrever? Ou toda hora é hora?

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Natália disse...

Sensacional.

Carregado de sentimento e tão bem escrito, como todos os seus contos.

A sensação que tive, por um momento, é que estive com ele, por alguns instantes.

Beijos

Cristiano Contreiras disse...

Tu és um cronista da atualidade, abraço

Wendell Fernandes disse...

Existem períodos terríveis, existem existências sinistras . Quando leio essas coisas, é que tenho medo de não envelhecer junto a alguém.

Carla P.S. disse...

Tudo isso é importante.As pessoas não acreditam, mas solidão e melancolia também é preciso.
Em tempos: "o pior veneno é aquele que te agrada".
Um café.

sblogonoff café disse...

Virgem Maria...
Para driblar a depressão de gaiolas, o canário canta. A mesma canção que liberta é a que atrai a morte.
Haverá corações partidos e um requiem para todo amor em destroços.
A madrugada deixa tudo mais triste e sempre é melhor ver o sol nascer quando há alguém por perto.
Tudo aqui é uma pirofagia, a paixão quer sangue e pássaros mortos.
O amor quer mais.

Daniel Savio disse...

Cara, o certo não seria que um fim de um ciclo terminou, então um ciclo mais feliz poderia começar...

Fique com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento