sábado, 7 de novembro de 2009

O regresso do amigo


 A neve caia leve
 O frio era suportável
 De longe se via o vapor de suas conversas
 Ah, era assunto que não acabava mais.
 Ele estava feliz por ver que seu amigo havia voltado
 Apertou-lhe a mão firme
 Não, isso não bastava
 Estavam ali diante um do outro
 Então, sem jeito, o abraçou bem forte como se não fosse mais largá-lo
 Ambos não estavam acostumados com tal gesto de afeto,
mas a amizade era tão verdadeira.
 O viajante colecionava chaveiros
 E entre os vários que possuía pendurados em sua mochila,
estava lá um do time na qual ganhara de presente do amigo. 

5 comentários:

Daniel Savio disse...

Cara, a amizade é algo incrivel, mas o clima frio cairia bem agora...

Fique com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

Natália disse...

Por um momento senti o abraço, as batidas do coração. Existem alguns momentos dignos de eternidade, este é um deles.

Adorei!

Beijos

Carlos. disse...

cara ,

ao amor platonico,
sou um homem de um unico amor.

sblogonoff café disse...

Eu ia gostar de ver um presente que deisendo lembrado, usado, conferida importância...
Parece uma surpresa que aproxima, né?!!

Palatus disse...

Une belle poiesissss...sabe lidar com as apalavras. Isso é bom para lavarmos por dentro e nos renovar...
Inté mais.

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento