sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Sexta-feira


 Relâmpagos iluminavam a tarde de sexta ameaçando chuva
 Sozinha, adentrou o recinto olhando para o relógio de pulso.
 Logo o avistou sentado próximo ao vidro com luminoso.
 Retirando o casaco, aproximou-se lentamente até que ele percebesse sua presença
 Friamente, perguntou se podia se sentar.
 Indiferente, fez que sim com a cabeça.
 Por um tempo ficaram ali sentados observando todas aquelas faces que transitavam a rua.
 Faces que por alguns instantes foram substituídas por faróis, que antes apagados agora iluminavam a noite e a chuva que descia forte sobre o asfalto.
- Me conte sobre você!
- Hmm... - respirou profundamente antes de continuar. - Não tenho muito oque falar!
Pausou a conversa com um gole de café e continuou a olhar a prateleira espelhada à sua frente.
- Eu não te reconheço mais, oque o tempo fez com você?
- O tempo passa e as pessoas mudam!
- Você se tornou outra pessoa, - seus olhos se encheram d'água antes de continuar:
- Eu quero aquilo de volta.
- Não há como voltar atrás, lamento.
- Não pode fazer isso comigo, e nossos planos, como ficam?
- Se você não tivesse ido embora eu ainda estaria aqui.
 Descontrolada em prantos, levantou-se e saiu correndo debaixo de chuva para o espanto de todos que acompanhavam a pobre moça que falava sozinha.

Pintura de H. Toulouse Lautrec "Gueule de Bois (La Buveuse)"

5 comentários:

Daniel Savio disse...

As coisas mudam, mas não precisa que seja para pior...

Ai, ai, o que esta menina esperava realmente do protagonista desta história?

Sempre somos diferentes, então não é muito esperado que sejamos iguais ao que eramos antes, mas a base, isto concordo que fique inalterado (a forma de sorrir, por exemplo)...

Fique com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

Elinha disse...

Perfeito!! lindo!
muitas vezes me senti exatamente assim!
ótimo fds, xeroooooooo

Cristiano Contreiras disse...

PARABÉNS PELO BLOG ESTILOSO, INTELIGENTE E ATE POETICO! VOU LINKAR AO MEU, TE SIGO NO OUTRO SEU TAMBEM, DAI NAO PERCO O CONTATO! PARABENS!

Alvaro Vianna disse...

Bom sketch

mano maya kosha disse...

desfecho fantástico, o quanto nos prendemos naquilo que infelizmente não de prosperou ...

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento