sábado, 10 de janeiro de 2009

Prazeres


Passos dados rumo ao desconhecido
Comemorações realizadas
Datas de nascimento relembradas
Doenças anunciadas
A mentira mascarada
Os amores abandonados
As lágrimas derramadas
A dor sentida
Os pés sem chão
A morte em vida
A espera de um amanhã
Os prazeres da bebida,
da carne, do café... da vida.
A lua
A madrugada em claro
A pizza amanhecida
A verdade das palavras
A fortaleza em pessoa
A roda de amigos
As bobagens ditas
Os momentos, as carícias
As risadas
o mar.
O adeus, a despedida
O pranto
A solidão presente
e o amor ausente.

5 comentários:

Daniel Savio disse...

Salve menino Rafael,

Algumas coisas em concordo que são prazes, outras estariam para tormentos, mas fazem parte da vida, portanto se que uma prazer, vai ter de arcar com ônus que isto traz...

Fique com Deus, menino.
Um abraço.

Tata disse...

Oie,

Tantos são os prazers perdidos em cotidianos, tanto nas chegadas quanto nas partidas sempre há algo doce no ar.....

bjinhos

Diego?Glommer?Chuck? .? disse...

Poema interessante.
Parabens.


http://marmotatomica.blogspot.com

Philip Rangel disse...

Opaa...e ai...primeira vez por aki...e aprovando o que vejo aki...texto..postagem de auto conteudo...sempre importante ter novas amizades..e ver o conteudo de cada blog...podendo engrandecer e ajudar em nosso dia a dia...

parabens...

Xanda disse...

é como no seu poema que as coisas acontecem, assim num ritmo bonito, às vezes melancólico, não importa como é sempre intenso rápido. É preciso ter cuidado, atenção e saudade, amor e sentir tudo. Eu teno sentir o máximo sempre....
Essa foi minha primeira visita mas irei voltar concerteza.
prazer...

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento