terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Véspera de Natal


A neve caía na ocasião, mas o ambiente era agradável.
Sozinha, no aconchego de um bar, degustava seu vinho do porto.
Seu olhar pela janela do estabelecimento era de tristeza.
O branco da neve já não era tão branco.
Prestes a pedir outra bebida vira-se notando o olhar observador de um homem.
Acuada, volta seus olhos para a taça, enquanto o ser a espreita se aproxima:
- Posso te pagar um drink?
- Não, obrigada!
Pausa, silêncio, musica baixa tocando ao fundo.
- Você é linda, quero muito te conhecer.
- Desculpe, eu já estava de saída!
Continua a insistir, até que outro rapaz se aproxima sorrindo e adentra a conversa:
- Oi, demorei?
Aliviada, e agora com um semblante limpo, intercala:
- Que bom que chegou, achei que não viesse mais!
Num instante o intruso se afasta.
Ambos sorrindo se apresentam:
- Olá eu sou Paul.
- Prazer Paul, sou Lisa! Você me salvou.
- Só imaginei que estivesse em apuros
- E realmente estava...
Ambos sorriem novamente
Após algumas taças juntos ele indaga:
- Porque está sozinha em um bar em plena véspera de Natal?
- Talvez eu goste disso!
Dito isso, Lisa vira a taça, tomando o restante em um gole.
Sorrindo com apenas um canto da boca ele continua:
- Tens mãos finas, não é do tipo Amélia!
- Não sou mesmo!
Espalhafatosa, solta uma gargalhada que atrai até o olhar ligeiro do balconista.
Tentando voltar ao controle da situação ele continua:
- Oque você faz da vida?
- Sou enfermeira em um manicômio, um trabalho de merda.
- Está pra nascer um que não reclame do seu!
Totalmente ignorado, ele se coloca a ouvi-la:
- As vezes você é pra eles um pai, uma mãe; outras vezes eles não tem ideia de quem você seja, é frustrante!
- A vida é frustrante, só que há momentos excepcionais como este!
Com um sorriso singelo ela diz com voz mansa:
- Gostei, mas agora tenho que ir.
- Ok, nos vemos?
- Sim, no próximo ano véspera de natal estarei aqui novamente.
Ela se afasta, pega o casaco, a bolsa, abre a porta e some em meio a neve
E em um tardio grito ele pergunta:
- Mas e eu, como fico o resto do ano?

11 comentários:

Tata disse...

Oi,

Ai, será que um ano ele iria aguentar esperar???
Pq não teve um ímpeto correr em meio a neve e pegá-la pela mão e a olhar nos olhos e dizer que entregar ao destino se encontrar denovo talvez não fosse a coisa certa, já que estava certo de que algo acontecia dentro dele, que ele não sabia o que era, mais que que a única certeza de que ele tinha era de querer ficar mais um pouco!

UAU! KKKK
Sem querer inventei um final para sua história!!! Desculpe!
Saiu!

Mas adorei sua história!
Tão gostosa que me fez querer dar um final para ela!
bjinhos

Daniel Savio disse...

Parece até um espírito do natal, ou da páscoa, ou qualquer outro dia festivo (acho que não tem um dia no ano que não seja dia de algo).

Mas as vezes, a melhor terminar algo numa boa expectativa do que se decepcionar...

E aproveitando o momento, feliz natal e um próspero ano novo, para ti e sua família.

Fica com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

Philip Rangel disse...

Não ia esperar mesmo......com certeza.....

Feliz Natal meu amigo..de mita paz...e realizaçoes....

abraços

Thiago dos Reis disse...

brilhante. nada mais a declarar.

Thiago dos Reis disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Philip Rangel disse...

Meus amigos chegou a hora de rever os fatos que marcaram epoca no Entrando Numa Fria espero vcs em mais um inicio de debate..para fecharmos com chave de ouro 2008....

Com certeza...um ano e muito tempo....nao pode nao rolaa.....affe......

abraçao meu amigo

Tauana disse...

Lembra quando conversamos Eu, você e o Thiago, a respeito de não gostar do natal... Pois é neste natal pude pensar diferente... Talvez eu tenha visto que a magia desta época está dentro de mim mesma, e cabe a mim saber aprecia-la....

=*

Suzy disse...

perfeito... uma nostalgia;)
Mas uma obra para ler[:

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doacões pra montar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doacões no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abencoe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

Daniel Savio disse...

E ai menino, quando as férias terminam?

Será que vai sair um fornada fesquinhas de poesias, ou sentimentos (no fundo, os dois são as mesmas coisas)?

Fica com Deus, menino Rafael.
Um abraço.

Noubar Sarkissian Junior disse...

Ei, rafael!

Bacana vc ter passado pelo meu blog! aí pude conhecer o seu também!

Adorei esse texto da cena de um natal incomum...quanta imaginação cabe nesse espaço de ano oferecido pela moça...

parabéns!

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento