quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Seguindo em frente


O céu estava limpo e o sol brilhava como nunca.
Calçou suas sandálias
e sorrindo, adentrou o carro do seu amado.
Apavorada, chorou.
Tentou fugir
gritou, em vão.
Violada em seu íntimo,
cedeu.
Jogada, largada, usada.
Ferida no âmago.
Covardemente, ainda a culpou pelo cometido:
- Quem mandou ser tão bela?
Desde então o nevoeiro tomou conta de seus dias
deixando-os tristes e vazios.
Quis morrer, quis matá-lo
mas não o fez
Apenas tentou apagar.
Um dia acordou numa manhã nublada
O sol teimava em surgir.
Então, calçou suas sandálias, respirou profundamente
e seguiu em frente, esquecendo-o
perdoando-o.
Após isso pôde sorrir novamente.

6 comentários:

Pedro Berocan disse...

Nem sempre um dia ensolarado é um dia feliz.

Carlota disse...

td bem que fizeste chorar, mas não de tristeza e sim pela sensibilidade escancarada ...vc conseguiu dizer td em poucas palavras

Rafinha o poeta filósofo \o/

Daniel Savio disse...

Alguns erros são perdoaveis, outros, nem tanto...

Mas sempre temos de recomeçar a sorrir, para então sermos felizes.

Fica Com Deus, menina Rafael.
Um abraço.

Anderson Emídio disse...

Belo texto Rafa.

O perdão é uma das atitudes mais nobres do ser humano.
Aprendi certa vez que não adianta guardar ressentimentos contra ninguém,não resolve o problema e geralmente quem feriu até esquece oque fez e só o ferido que carrega o peso e a dor do problema.
Quando guardamos ressentimentos paralisamos nossa vida e não conseguimos romper,o prejuízo é todo nosso.Portanto perdoamos não porque a pessoa mereça mais sim porque nós não podemos carregar um peso a vida inteira quando a outra parte envolvida não está nem aí para oque fez.

Forte Abraço

Tauana disse...

Parabéns pela sensibilidade e sutileza nas palavras, incrível teu poder, em especial nesse texto de expressar atos e sentimentos, sem cita-los propriamente...

Beijos

Amor Sem Limite disse...

O perdão é um dos dons mais importante na personalidade de uma pessoa, e como diz William Shakespere: "Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra."

Márcia

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento