segunda-feira, 7 de julho de 2008

A verdade


Buscou sem cansar, algo plausível para tremenda repulsa na carta
No trajeto de volta contou as horas, os minutos e os segundos,
ao som triste do piano de Beethoven.
E enquanto o tempo castigava-o veementemente, recorreu às lembranças
de quando a tinha junto de si
de quando a observava dormir
de como ela o cativava de uma forma abrupta
tapando-lhe os olhos na intenção de fazê-lo adivinhar quem era.
Esse voo demorara mais que de costume
O horizonte ao seu lado refletia sua face atônica ao se aproximar de terra firme.
Estaria ela a sua espera e com a resposta para suas perguntas?
Ao chegar, a aurora estava no fim.
Pés no chão, buscou pela verdade, e lá estava ela.
De pé, acompanhada, em sua frente.

6 comentários:

[A] y d i l disse...

oiii

e como dizia Clarice Lispector

"Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer: - E daí? EU ADORO VOAR! "

Thiago dos Reis disse...

Salva esse! Foi um dos melhores, mesmo!

Parabéns.

Rafael disse...

Aydil,belo trecho de Clarice

Thiago,obrigado :)

RCosta disse...

Bom! =)

http://vocefazobrasill.com disse...

Bem...Parabens pelo blog e muita sorte!!!

Joaninha disse...

ola rafael! já deixaste um comentário no meu blog há algum tempo mas decidi passar agora por aqui e ver o teu perfil, as tuas fotos e pensamentos. gostei! já agora uma curiosidade e coincidência, eu também me chamo galvão! apelido de família! beijo de coimbra - portugal

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento