sexta-feira, 6 de junho de 2008

O piano


Procurou, procurou...
mas jamais encontrou.
Na grande sala vazia restou apenas o piano
que agora com a presença da ausência se tornou silencioso.
A madrugada lhe trouxe a lua cheia, que jogou a sombra da rosa sobre ele
Quase quatro horas e seus olhos ainda o castiga com o pranto
Nostálgico, se joga ao chão
Acolhido pelo frio, adormece.
O som do piano o desperta pela manhã
Seria ela?
ou apenas sua imaginação lhe pregando peças novamente?

3 comentários:

Fernandes disse...

Fala em piano como falo no barulho das pisadas em casa, no barulho do microondas, ou da geladeira a abrir, de tudo aqui, dela tem um pouco!

Fernandes disse...

quando quiser meu MSN para falar-mos. é só pedir.

Rafael disse...

ok,me passa pra gente tc

abraço

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento