quarta-feira, 30 de abril de 2008

Trilhos


Vasculhou arquivos supostamente perdidos pelo tempo
encontrou escritos de alguém que se foi, e que nunca desistiu de seguir
Então, percorreu por ruas desencontradas
Andou por trilhos abandonados
Passou por onde nunca havia passado
Até que avistou o campo, mas não foi capaz de enxergar o horizonte
então parou, pensou e pensou.
Talvez ele nunca consiga enxergá-lo se não erguer a cabeça
A incerteza de um amanhã distante o faz continuar seguindo por ruas desencontradas,
e andar por trilhos abandonados.
Os trilhos tem fim,
mas não há barreira que o impeça de enxergar a sua frente e seguir.

3 comentários:

Thiago dos Reis disse...

muito bom o texto, devemos seguir em frente, mesmo se não soubermos pr'onde vamos.

e a névoa e a neblina nos impeder d'enxergar.. algumas pessoas prcisam de ajuda de terceiros pra enxergar pois há muita neblina por perto.

Rafael disse...

Você esta certo thiago,obrigado pelo comentário.

Yohana disse...

Um dia eu estarei pronta para deixar que todos vejam. E entao eu vou postar...
Ate agora ainda nao tenho tanta coragem.

Eu adorei o seu blog...
E adorei os seus textos...

Beijos

metrópole

metrópole
Estava chovendo lá fora

Preocupação com simetria, exatidão, ordem, seqüência ou alinhamento